Manuel Garcia Ramirez consolida com sucesso um processo de internacionalização que resulta da conquista de mercados através de marcas próprias, como é o caso da Cocagne, líder do mercado belga, onde entrara 11 anos antes.